Por Que Focar no Seu Objetivo NÃO Funciona e o Que Você Pode Fazer a Respeito

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Eu venho afirmando que, se você quiser ser aprovado em um concurso, deve definir um foco claro. Esse foco normalmente está relacionado a um objetivo, que se refere a um conjunto de cargos ou a um cargo específico. Dessa forma, ter em mente seu objetivo é muito útil na definição da estratégia e no planejamento dos estudos.

Mas quando se fala da rotina de estudos, pensar demais no seu objetivo pode ser prejudicial. É aqui que entra a distinção entre objetivo e sistema:

Se o seu objetivo for a aprovação, dentro do número de vagas, para o cargo de técnico judiciário do TJDFT, por exemplo, o sistema será a rotina diária de estudos com a aplicação de boas práticas e técnicas e com o uso de materiais de qualidade, dentre outros recursos.

Agora, se você pensar demais no seu objetivo, sabe o que isso pode trazer? Isso pode trazer sentimentos de infelicidade. Quando a pessoa está excessivamente vidrada no objetivo, ela está afirmando que não é boa ou feliz ou competente o suficiente, mas que será quando conseguir alcançá-lo. Imagina a pressão que isso pode trazer?

Busque a gratidão e a alegria pelo que você é e pelo que você tem hoje. Isso te ajuda a não ficar obstinado com o objetivo. Veja bem, você continua buscando-o, mas sem colocar tanto peso naquilo, pois o que você é e tem hoje já é suficiente.

Os objetivos são bons para gerar a motivação inicial, mas eles não sustentam a motivação a longo prazo. Quantos casos vemos de pessoas que estavam hiper motivadas mas que, após fazerem a prova e não irem bem, logo se desmotivam e pensam: “esse negócio de concurso não é pra mim”.

Dica: abra mão da necessidade de resultados imediatos. O obstinado por objetivos age ansiosamente e quer sempre resultados em curto prazo.

Outro problema com os objetivos é a necessidade excessiva de controle. A pessoa passa a querer prever o futuro, e atingir o objetivo passa a ser questão de vida ou morte.

Isso vem da noção de escassez com que somos criados: a falácia de que há poucos recursos no mundo e de que devemos lutar contra os demais para conseguir a nossa parte. Quando abrimos mão do controle (sem nunca deixar de fazer a nossa parte!), passamos a confiar no fato de que a vida e o mundo dos concursos podem ser, sim, abundantes.

Dica: crie formas de mensurar o seu progresso. Isso gera um feedback em relação ao seu estudo e evita que você desanime. Uma forma simples é resolver provas ou partes de provas periodicamente e ver o quanto você está melhorando. Tome cuidado para escolher provas com níveis de dificuldade parecidos.

Por fim, comprometa-se com a sua rotina de estudos! É isso que vai te fazer progredir e alcançar os resultados!

Grade abraço!