Como fazer mapas mentais: guia completo + vídeoaula + download

0 Flares Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

>> ASSISTA O VÍDEO ABAIXO (GUIA COMPLETO):

 

[ARTIGO] Como fazer mapas mentais para concursos públicos?

Mapas Mentais Para Concursos- Guia em 7 Passos - Vs.Final

 

Nesse artigo, você vai aprender como fazer mapas mentais da maneira mais fácil e rápida para usá-los no seu estudo para concurso público e descobrirá que eles são capazes de multiplicar sua velocidade de aprendizagem e sua capacidade de lembrar-se de tudo na hora da prova!

Clique aqui  para baixar a versão completa em alta resolução do Guia Mapas Mentais em 7 Passos

Nesse guia prático de como fazer mapas mentais, você descobrirá:

  • 7 passos simples e fáceis que ensinam como fazer mapas mentais e usá-los na sua preparação para concursos públicos…
  • quais são as principais ferramentas para criação de mapas mentais no computador, incluindo pagas e gratuitas…
  • quais são as principais fontes de informação que você poderá usar para criar os seus mapas mentais…Além disso…
  • você vai descobrir que precisará organizar seus mapas mentais e programar sua sistemática de revisão, para facilitar ainda mais sua aprendizagem…

Então aqui está o seu passo-a-passo:

1º) DEFINA A FORMA E AS FERRAMENTAS:

Antes de aprender como fazer mapas mentais, você terá que definir se criará o seu mapa mental manualmente em uma folha de papel (ou caderno) ou se o criará em algum software de computador específico para criação de mapas mentais.

Vejamos alguns detalhes desses dois tipos de mapas mentais:

  • Mapas mentais feitos no papel:

Para criar os mapas mentais à mão você precisará de material básico de desenho, conforme sua preferência:

  • folha de papel sulfite ou caderno de desenho;
  • canetas ou canetinhas coloridas;
  • lápis de cor;
  • giz de cera;
  • borracha;
  • etc.

Você não precisa necessariamente ter todos estes materiais para criar mapas mentais eficientes. A falta desse material não pode ser impedimento para você, ok?! Alguns lápis de cor e uma folha de papel já são mais do que suficientes.

  • Mapas mentais digitais (computador/ tablet/ smartphone):

Caso você opte por fazer mapas mentais no formato digital, criados a partir do seu computador, precisará familiarizar-se com alguns softwares e sites de criação de mapas mentais.

Existem muitos sites e softwares para criação de mapas disponíveis na internet e você pode facilmente encontrá-los em uma pesquisa rápida pelo Google.

Cada um deles tem suas características e peculiaridades e você não precisa aprender todos.

Basta apenas que você se identifique com um e aprenda como fazer mapas mentais nele, de forma ágil e eficaz.

Lembre-se: escolha um que te permita ganhar velocidade no seu aprendizado!

Evite softwares complicados ou demorados, para não perder mais do seu escasso tempo de estudo.

Alguns destes sites oferecem softwares (pagos ou gratuitos) que você pode baixar no seu computador e utilizá-los offline.

Outros disponibilizam para você uma plataforma online de criação de mapas mentais, que você pode utilizar após criar uma conta de usuário (gratuita ou paga, a depender do site).

Abaixo, listo alguns dos principais sites de criação de mapas mentais para que você possa pesquisar e descobrir qual se encaixa mais com o seu perfil:

*Note que muitos dos programas “gratuitos” tem também versões pagas, mais completas.

  • Gratuitos:

  • Pagos:

Como Fazer Mapas Mentais

 

Como fazer mapas mentais utilizando cada uma dessas ferramentas?

Cabe a você testar cada uma delas e identificar com qual você mais se adapta.

Pessoalmente, dentre as ferramentas pagas, eu prefiro a iMindMap e a versão paga do MindMeister

São ferramentas muito completas e ricas em recursos. Mas para quem está iniciando agora, talvez seja melhor optar por uma ferramenta gratuita.

Dentre as ferramentas gratuitas, a minha predileta é a XMind.

Oferece grande riqueza de recursos e mapas ilimitados, ao mesmo tempo que a utilização é fácil, tornando-a quase perfeita para iniciantes.

(Essa é inclusive a ferramenta que eu recomendo para os alunos do meu treinamento completo no qual ensino de forma super detalhada como fazer mapas mentais no estudo para concursos)

Como fazer mapas mentais - Passo 1 Como fazer mapas mentais – Passo 1

 

Uma vez que você tenha definido qual o formato de mapa mental você criará e quais as ferramentas vai utilizar, terá que definir de onde virá a informação que você usará no seu mapa mental.

Então vamos ao passo 2.

2º) DEFINA DE ONDE VIRÁ A INFORMAÇÃO:

Para compor o seu mapa mental, você poderá usar variadas fontes de informação, tais como:

  • Materiais escritos: livros, apostilas, arquivos em PDF etc.;
  • Áudios: audiobooks, podcasts, palestras ou aulas gravadas em áudio;
  • Vídeos: videoaulas, palestras em vídeo, documentários em vídeo etc.;
  • Aulas ao vivo: palestras, seminários, congressos e aulas ao vivo;
  • Várias fontes simultâneas: materiais escritos, áudios, vídeos etc.

como fazer mapas mentais - passo 2 Como fazer mapas mentais - Passo 2

 

É importante que você perceba que a definição da origem da informação vai influenciar diretamente na construção do seu mapa mental.

Isso porque existe uma diferença na sua capacidade de assimilação do conteúdo e de organização das ideias no mapa, a depender da origem da informação.

Em geral, você terá mais facilidade de criar os mapas mentais de materiais escritos, pois terá mais tempo para encontrar as palavras-chave importantes e seguir a estrutura lógica do texto.

Em uma aula ao vivo, por outro lado, o grau de dificuldade para a criação dos mapas tende a ser muito maior, pois o palestrante ou professor pode apresentar o conteúdo em uma forma não tão linear e lógica quanto em um texto escrito.

Além do mais, em uma aula ao vivo, você não pode apertar o “pause” ou o “replay”.

Ou seja, se não entender o que o professor falou, vai perder aquela informação.

Assim, precisará ser muito mais ágil e menos perfeccionista ao criar seus mapas durante as aulas ao vivo.

O ideal é que você inicie criando mapas mentais a partir de textos escritos e com a prática vá explorando as outras fontes de informação não escritas: áudios, vídeos e ao vivo.

Ok! Então agora você já definiu o formato e a origem da informação.

Chegou a hora de você aprender a parte prática de como fazer mapas mentais, começando pelo conteúdo escrito do mapa.

Esse será o seu passo 3.

3º) INCLUA O CONTEÚDO ESCRITO:

Esse é o passo mais importante, pois é aqui que você vai começar a criar o mapa mental propriamente dito!

Primeiramente, inicie a construção do mapa partindo do tema central.

O tema central é o assunto central do seu mapa. Deve ser escrito bem no centro do mapa mental (em softwares essa é uma definição padrão), de preferência com uma imagem que o simbolize.

O seu tema central pode ser o título de um capítulo, o título de uma lei específica ou de um conteúdo específico do seu edital.

Ex: “Regras de Aposentadoria no Serviço Público Federal”, ou “Princípios Constitucionais da Administração Pública”, ou “Conjuntos Numéricos”, ou “Substantivos” etc.

A temática central do seu mapa tem que ser específica.

Não pode ser muito ampla, pois os mapas mentais precisam ser sucintos para serem efetivos.

Se você colocar muita informação em um mapa, não conseguirá fazer as revisões adequadamente, conforme falaremos a seguir.

É melhor que você crie vários mapas mentais mais sucintos do que um único mapa mental sobrecarregado de informação.

Por exemplo, você não deve criar um mapa mental para o conteúdo “Português”.

Para esse conteúdo, você precisará criar vários mapas mentais, tais quais: “Substantivos”, “Verbos”, “Adjetivos”, “Acentuação”, “Crase” etc.

Após selecionar o seu tema central, você vai começar a ramificar o mapa em subtemas principais.

Os subtemas principais podem ser os capítulos de um livro, ou os tópicos de um capítulo, ou os artigos de uma lei específica etc.

Como exemplo, se você definir que o seu tema central são os “Princípios Constitucionais da Administração Pública”, então seus subtemas principais podem ser seus famosos princípios “L.I.M.P.E”: Legalidade, Impessoalidade, Moralidade, Publicidade e Eficiência.

Mas por favor preste atenção a um detalhe importante: você deve começar a ramificação do centro para as extremidades.

O seu primeiro subtema deverá ser preenchido no quadrante superior direito da sua folha de papel (definição padrão em softwares).

Feito isso, deverá ir ramificando em sentido horário com os demais subtemas.

Uma vez definido os subtemas, você deverá adicionar informações relevantes sobre cada um deles.

É essencial que você abrevie as informações com as palavras-chave mais importantes que qualificam os subtemas.

como fazer mapas mentais - passo 3 Como fazer mapas mentais - Passo 3

 

Ao trabalhar com palavras-chave você deixa o seu mapa mental mais enxuto, contendo somente as informações mais relevantes para o seu objetivo, que é passar na prova.

Isso te facilita posteriormente na hora da revisão e memorização do conteúdo.

Assim, você não deve jamais inserir frases inteiras de um livro ou PDF nos seus mapas mentais. Deve encontrar as palavras mais importantes e cortar todo o resto.

As palavras-chave que você deve incluir são aquelas que remetem a conceitos, definições ou exemplos relativos ao assunto tratado.

Ao estudar, por exemplo, os “Direitos Fundamentais”, você deve criar um mapa mental utilizando ao máximo as palavras-chave, evitando frases inteiras.

Um exemplo possível pode ser visto no mapa abaixo:

DireitosFundamentais-mapasMentais

(*) Mapa extraído do site http://blog.mapasequestoes.com.br/

Talvez agora você esteja achando um pouco difícil ou complicado identificar quais são as palavras-chave mais importantes, mas fique tranquilo, pois isso não é um “bicho de sete cabeças”, como pode parecer.

Naturalmente, você vai levar um tempo até que adquira prática suficiente para identificar as palavras-chave mais importantes dentro do conteúdo que você está estudando.

Mas esse processo é extremamente importante para fazer com que sua capacidade de aprendizagem e memorização se multiplique em pouco tempo.

Isso porque, ao aprender a utilizar as palavras-chave corretamente, você vai começar a identificar somente o núcleo principal em qualquer conteúdo.

Ou seja, você vai aprender a identificar o que realmente “cai na prova”.

Como Fazer Mapas Mentais

 

Uma recomendação adicional: ao preencher seu mapa com as palavras-chave, utilize letras grandes, pois elas estimulam seu canal visual e facilitam a revisão, como falarei mais à frente.

Muito bem! Uma vez adicionado o texto ao seu mapa mental, chegou a hora de você ilustrá-lo.

Aqui chegamos ao passo 4.

4º) ILUSTRE OS CONCEITOS MAIS IMPORTANTES:

Agora você pode estar pensando: “Por que devo ilustrar o meu mapa mental, se imagens e figuras não caem na prova?”.

Pois bem!

Você já deve ter escutado que “uma imagem vale mais que mil palavras”. Esse conceito se aplica perfeitamente aos mapas mentais.

Ao incluir imagens no seu mapa mental você está facilitando a memorização do conteúdo para o seu cérebro.

As imagens no seu mapa mental servirão para te ajudar a ilustrar conceitos, conteúdos e exemplos para cada palavra-chave principal.

Nesse passo, você pode usar imagens, desenhos ou ícones.

Os desenhos feitos à mão NÃO precisam ser bonitos ou bem feitos.

Basta apenas que representem algo e que façam sentido para você. Ou seja, é importante que você coloque imagens que te façam lembrar de algo.

As imagens precisam ter sentido para você! Não para mim, nem para o seu professor de cursinho... para ninguém! Precisam fazer sentido para VOCÊ!

Você não precisa ser um bom desenhista, nem tampouco perder muito tempo desenhando algo complicado ou difícil.

As ilustrações podem ser feias, bizarras, hilárias, caricatas, ridículas ou triviais. Mas precisam te fazer lembrar do conceito a que você as associou no seu mapa mental.

Veja por exemplo este mapa criado para o tema “Modalidades de Licitações”:

15

(*) Mapa extraído do site http://mapasequestoes.com.br/

Percebe como são simples as ilustrações utilizadas no exemplo acima? Mas percebe também como representam os conceitos a que se referem?

Outro recurso indispensável que você precisa utilizar na criação dos seus mapas são as cores.

Elas são fundamentais para diferenciar os conteúdos dentro do mapa, indicar significados distintos entre as palavras-chave ou agrupar conceitos e subtemas dentro do mapa.

Portanto, tenha sempre à mão  lápis de cor, giz de cera ou canetas coloridas para usar na criação dos seus mapas.

Ou, se estiver utilizando um software, utilize os recursos de cores, varie a espessura das linhas e inclua imagens à vontade!

como fazer mapas mentais - passo 4 Como fazer mapas mentais - Passo 4

Ao concluir a ilustração do seu mapa, você terá finalizado sua criação. Parabéns!

Mas e agora, o que você vai fazer com o mapa recém criado?

Pois bem, vamos ao passo 5.

5º) ORGANIZE SEU MAPA JUNTO A OUTROS MATERIAIS DE ESTUDO (OU OUTROS MAPAS MENTAIS):

Você criou seu primeiro mapa mental. Logo criará o segundo. Depois o terceiro, o décimo, o vigésimo, o centésimo...

E se continuar estudando com determinação e de forma correta, em breve terá centenas de mapas mentais criados por você.

Centenas?! Isso mesmo! 

Dê uma rápida olhada no edital do seu concurso e facilmente perceberá que existem dezenas a centenas de itens que compõem o conteúdo objetivo da prova.

Se você criar somente 1 mapa mental para cada um destes itens logo terá dezenas a centenas de mapas mentais. 

"Mas, como fazer mapas mentais vai me ajudar a passar no concurso?"

O ato de fazer mapas mentais é uma forma de estudo ativo, que gera maior processamento do conteúdo que está sendo estudado.

Segundo comprovações científicas, o estudo ativo tem eficácia imensamente maior no aprendizado e memorização que métodos tradicionais de estudo, como assistir à uma aula passivamente, sublinhar ou fazer resumos de textos.

Além disso, ao mesmo tempo em que você estuda através dos mapas mentais, você está produzindo seu próprio material de revisão e de consulta quando for fazer simulados de questões de provas anteriores.

Como você vai usar os mapas mentais na prática, é o que vamos falar no passo 6.

Por hora, precisa entender que será necessário que você desenvolva um sistema próprio para organizar e catalogar seus mapas mentais.

Pense bem: como vai encontrar um conteúdo específico nos mapas mentais que criou quando você tiver dezenas a centenas deles em seu computador (caso sejam digitais) ou em suas prateleiras (caso os tenha feito à mão)?

Você precisará catalogar os mapas mentais para facilitar seu acesso. Criar associações entre os mapas. Separar por conteúdo ou disciplina.

Se você está criando seus mapas mentais no computador, separe-os por pastas específicas para cada conteúdo ou por concurso específico.

Mas deixe-os bem organizados de forma que você possa encontrá-los facilmente.

 

como fazer mapas mentais - passo 5 Como fazer mapas mentais - Passo 5

 

Caso você esteja criando seus mapas mentais manualmente, então recomendo que os separe em pastas ou caixas específicas.

Da mesma forma que os mapas criados no computador, você pode separá-los por conteúdo ou concurso específico.

Eu sempre recomendo os mapas digitais pela rapidez de elaboração e porque em um simples pen drive você pode carregar centenas deles!

Independentemente se você criou seus mapas manualmente ou no computador, também poderá separá-los de acordo com o ciclo de revisão que você adotar no seu estudo, conforme trataremos no passo 6.

O mais importante é que você os deixe em um local organizado, de fácil acesso, pois você vai precisar visitá-los diariamente até o dia da sua prova.

Como Fazer Mapas Mentais

 

6º) DEFINA A SISTEMÁTICA DE REVISÕES DOS MAPAS MENTAIS CRIADOS:

Assim que você tiver finalizado seu mapa mental e o organizado junto ao seu material de estudo, precisará definir a frequência com que revisará este mapa.

Seu mapa não terá nenhuma utilidade se ficar esquecido em uma prateleira ou em uma pasta do computador.

Você precisa revisá-lo periodicamente para fixar a informação contida nele.

Segundo estudos científicos, cerca de 80% do conteúdo estudado em um dia é esquecido a partir das primeiras 24 horas, caso você não realize algum processo de revisão.

Cada autor ou especialista em concurso público e em memorização recomenda determinado tipo de sistema de revisão que mais considera adequado para facilitar a memorização de conteúdo.

De uma maneira geral, cada um destes sistemas preconiza revisões periódicas.

A diferença entre eles está na frequência de cada revisão, geralmente começando com uma frequência diária, passando pra semanal, mensal, semestral etc.

como fazer mapas mentais - passo 6 Como fazer mapas mentais - Passo 6

 

A revisão de cada um dos mapas pode ter duração de alguns minutos a poucos segundos, a depender da complexidade do mapa e da quantidade de vezes que você já o revisou.

Pense comigo: na primeira revisão, você precisará de um tempo maior para reler cada informação do mapa.

Nas revisões seguintes, as informações já estarão mais frescas na memória e você precisará de menos tempo para revisar cada mapa.

Após várias revisões, você praticamente se lembrará de todo o conteúdo do mapa apenas olhando para ele por alguns segundos.

Por fim, em uma condição ideal, você será capaz de se lembrar de todo o mapa apenas pensando no nome dele (o tema central).

Quando você chegar nesse estágio (e você pode chegar!), será capaz de relembrar praticamente todo o conteúdo que estudou antes, distribuído em dezenas a centenas de mapas mentais que você terá criado no processo de estudo.

Não pretendo aqui determinar qual a frequência de revisão dos seus mapas mentais você deve utilizar, pois isso explico de forma aprofundada e com detalhes em meu treinamento completo sobre como fazer mapas mentais.

O que deve ficar claro aqui é que você precisará revisar cada mapa mental em uma determinada frequência até o dia sua prova, ou tudo estará perdido e de nada terá valido os mapas mentais que você criou.

Mas para que esse Passo 6 não fique somente teórico, veja como você poderia, por exemplo, sistematizar suas revisões: para cada mapa criado, você poderia revisá-lo 1 vez por dia durante os 7 dias seguintes.

Após essas 7 revisões, você revisaria esse mapa 1 vez por semana nas 4 semanas seguintes. Finalizadas as 4 semanas, faria mais 2 revisões quinzenais no mês seguinte. Após isso, faria mais 1 revisão mensal pelos 6 meses seguintes.

Por fim, uma revisão semestral até a data do seu concurso.

Este é só um exemplo, pois como eu disse, esse é um assunto mais complexo que requer maior profundidade. Isso pode variar conforme seu objetivo de estudo e conforme o prazo que você tem disponível até a prova do seu concurso.

Se a prova do seu concurso é daqui há 3 meses, é óbvio que não vai conseguir fazer revisões semestrais.

Por outro lado, se o seu concurso está previsto para daqui há 1 ano e meio, as revisões semestrais serão de grande valia.

Outra forma de usar os seus mapas mentais é em consultas para resolução de questões. É infinitamente mais rápido e fácil achar a resposta para uma pergunta em um mapa mental, em que a informação está resumida, ilustrada e acessível, do que em um texto linear de um resumo, por exemplo. Faça o teste!

Essa também é uma ótima maneira de você complementar seu mapa mental: Ao buscar a resposta para uma questão e perceber que ela não está no mapa que você elaborou, você terá que retornar ao material utilizado para buscar aquela informação.

Pois bem! De tempos em tempos você precisará dar o passo número 7 . Vamos a ele?

7º) MELHORE OU RECRIE O MAPA MENTAL QUANDO ESTIVER DESATUALIZADO:

Você criou vários mapas. Estudou por eles. Aprendeu e memorizou muitas coisas.

Mas, infelizmente, por algum motivo, você não passou no concurso que desejava.

Vai desistir depois de tanto esforço? É claro que não!

Então descobre que daqui há alguns meses haverá outro concurso com o qual você se identifica, de conteúdo similar ao que você acabou de fazer.

Ou ainda: decidiu continuar estudando até que seja lançado o próximo edital do concurso que você deseja prestar. Talvez daqui há 6 meses, ou daqui há 1 ano.

O que você vai fazer com os mapas mentais que criou? Você pode (e deve!) continuar revisando os mapas, seguindo sua sistemática de revisão habitual.

Isso vai garantir que você não se esqueça do conteúdo aprendido enquanto estuda novos conteúdos.

Porém, alguns destes mapas podem estar desatualizados. Os mapas mentais que você criou para conteúdos que envolviam leis, normas jurídicas, jurisprudências etc.

Por exemplo, podem estar desatualizados devido ao surgimento de novas leis ou normas. Terá que adequá-los às novas leis vigentes.

 

como fazer mapas mentais - passo 7 Como fazer mapas mentais - Passo 7

 

Você precisará ficar atento a esse tipo de alteração nas leis e atualizar o seu mapa mental de acordo com a nova regra.

Isso é importante para garantir que você não cometa erros desnecessários na hora da prova.

Por outro lado, você pode também atualizar ou reciclar alguns de seus mapas mentais, visando aperfeiçoá-los ou incrementá-los.

Esse processo de reconstrução dos mapas também ajuda você a melhorar sua memorização.

Você pode também tentar recriar cada um dos mapas "de cabeça", sem olhar pra eles, testando sua memória.

Isso vai te ajudar a identificar os "pontos cegos" nos mapas, as "brechas" de conteúdo que você ainda não memorizou.

Mas essa técnica é um pouco mais avançada e não cabe ensiná-la aqui, pois detalho estas e outras possibilidades de uso dos mapas em meu treinamento completo sobre como fazer mapas mentais e usá-los em concursos públicos.

Os mapas mentais devem ser utilizados juntos com todo um programa de estudo, conforme eu ensino aqui.

Então é isso! Espero que estas dicas sejam úteis para você. Esse é um resumo do processo que eu uso para fazer mapas mentais no estudo para concursos públicos.

Você pode fazer o download de uma versão em alta qualidade desse Guia em 7 Passos  clicando nesse link aqui. 

Se esse artigo ajudou você, por favor, compartilhe-o com seus amigos. Desse modo, todos saímos ganhando.

Aproveite também para se inscrever em nossa lista de e-mail e seja o primeiro a receber novos artigos e infográficos como esse.